A obra de duplicação da Rodovia Jorge Amado, entre os municípios de Ilhéus e Itabuna – cujo contrato será assinado pelo governador da Bahia, Rui Costa, na próxima segunda-feira –terá um retorno para acesso à Vila Gastronômica do Banco da Vitória, projeto de qualificação comercial e turística daquela área, que está prestes a ser executado. O prefeito Mário Alexandre lembra que os recursos, provenientes de emenda parlamentar da senadora Lídice da Mata, já estão garantidos e que agora só falta a visita técnica do engenheiro da Caixa Econômica ao local, para autorizar a licitação da obra.

Segundo o secretário municipal de Turismo e Esportes, Roberto Lobão, na última reunião de adequação do projeto executivo da Vila Gastronômica Banco da Vitória, quinta-feira, em Salvador, os representantes da Caixa admitiram que essa visita técnica pode ocorrer dentro dos próximos vinte dias. Estiveram presentes também, o coordenador da Superintendência de Investimentos (SUINVEST) da Secretaria de Turismo do Estado (SETUR), Marcus Miranda, GMC do Município de Ilhéus, Cláudia Nolasco, Engenheiro Projetista,Adebaldo Rodrigues, e coordenador GGOV da CEF,Márcio Reis.

Durante a reunião, os representantes da Caixa aprovaram o memorial descritivo do projeto de qualificação, que abrangerá um trecho de quase dois quilômetros, com piso intertravado, zonas de estacionamento, paisagismo, iluminação e pórtico de entrada. O secretário Roberto Lobão explica que o projeto surgiu há cerca de sete anos, mas só agora a Prefeitura conseguiu destravá-lo, após reuniões realizadas pelo prefeito Mário Alexandre em Brasília e Salvador.

Apelo turístico – O Projeto Vila Gastronômica do Banco da Vitória pretende formatar um novo produto turístico no município, tornando o local um ponto de serviços importante na oferta e valorização de bares e restaurantes. Lobão comenta que existe uma demanda espontânea para o polo de serviços de Banco da Vitória. “Cerca de 70 por cento dos consumidores do local são provenientes de outros municípios”, afirma. 

A gastronomia oferecida em Banco da Vitória é baseada em pratos com o calambau, o conhecido Camarão Pitu, moquecas, mamilo e outras carnes, e até derivados do milho. Atualmente, onze restaurantes funcionam naquela área. Além disso, há comércio de coco e diversas frutas, artesanato e outros serviços.

O secretário acrescenta que o projeto de qualificação da Vila Gastronômica também inclui a capacitação e treinamento da mão de obra disponível e dos próprios empreendedores, através de parceria com o Sebrae. “A nossa perspectiva é que a Vila seja um equipamento turístico mais atrativo e se transforme na porta de entrada à cidade”, salienta.

 Secretaria de Comunicação Social – Secom

Deixe uma resposta

Leia Também